Publicidade

Caravina sugere ação da PGE para proibir reajustes nas tarifas de pedágios

Deputado estadual pede suspensão dos aumentos até a retomada das obras de duplicação da BR-163 pela CCR MSVia.

19/06/2024 às 10h37 Atualizada em 26/06/2024 às 11h28
Por: Redação Fonte: Cenário MS
Compartilhe:
Deputado Caravina: "Mais um desrespeito com o cidadão".
Deputado Caravina: "Mais um desrespeito com o cidadão".

Na sessão desta terça-feira (18), o deputado estadual Caravina (PSDB) sugeriu que a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) mova uma ação, determinando a proibição do reajuste nas tarifas de pedágios cobradas nas praças de responsabilidade da concessionária CCR MSVia, enquanto não sejam retomados os investimentos e as obras de duplicação da BR-163.  

Mesmo sem cumprir o contrato de concessão com o Governo Federal, por meio da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a concessionária foi autorizada a reajustar as tarifas de pedágio, que variam entre R$ 6,20 e R$ 9,40, nas nove praças em Mato Grosso do Sul.

“Mais um desrespeito com o cidadão. A CCR MSVia reajusta os pedágios, informando ser uma readequação do índice inflacionário. Tínhamos acordo com a ANTT, que não teria aumento enquanto não houvesse a repactuação, que está parada no TCU [Tribunal de Contas da União]”, disse Caravina.    

Continua após a publicidade

O parlamentar informou que caso semelhante ocorreu no Estado do Rio de Janeiro, que obteve resposta positiva na Justiça. “Proponho que a PGE faça esta liminar, suspendendo este e proibindo outros reajustes do pedágio. Daqui a pouco, vamos ter mais um novo período inflacionário, com novos aumentos, sem retomadas das obras e mais mortes ocorrendo na BR-163”.  

O 1º secretário da Casa de Leis, deputado Paulo Corrêa (PSDB), também expressou preocupação com a situação da rodovia e propôs que a bancada federal se some ao pleito.

Continua após a publicidade
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Lenium - Criar site de notícias